Manual de Auto Proteção  Manuseio e Transporte de Produtos Perigosos.

 

Botao Errata PP12

 

foto site

12ª edição do “Manual de Autoproteção – Manuseio e Transporte deProdutos Perigosos – PP12”, compõem-se por todas as regulamentações e instruções referentes ao manuseio e transporte terrestre – rodoviário e ferroviário – de produtos perigosos em vigência. A obra, uma edição com 588 páginas, de autoria de Carlos Eduardo Viriato, é editada desde 1995 pela Indax Comunicação e informação é reconhe

 

cida por todos os que atuam nessa área como a maior e mais completa publicação brasileira sobre o assunto.

O manual tornou-se referência obrigatória para os profissionais de atividades relacionadas com produtos perigosos. Sua elaboração conta com o apoio técnico do consultor Mario Sérgio Turiani, da STD Consultoria. A 12ª edição, atualizada até setembro de 2014, inclui o novo Regulamento do Transporte Rodoviários de Produtos Perigosos, aprovado pela Resolução ANTT nº 3665/11, assim como outras alterações de efetivada aplicabilidade.

Além disso, o PP12 contém a atualização das legislações de trânsito e transporte, de forma a que os transportadores, usuários e autoridades tenham em mãos a mais completa coletânea da legislação em vigor. É consenso entre empresários, transportadores e embarcadores do setor que a publicação da Indax Comunicação desempenhou papel fundamental para criar no meio, ao longo do tempo, uma maior conscientização em relação às boas práticas de manuseio, gestão e transporte de produtos perigosos.

Ao disseminar conhecimento sobre a legislação relativa ao segmento, o manual contribui com as boas práticas necessárias à atividade. “Entendemos que com o manual ajudamos na necessária e urgente mudança de cultura em relação ao assunto que, além da questão de segurança tem forte apelo também na área ambiental, uma vez que um menor risco de acidentes envolvendo produtos perigosos auxilia também na preservação do meio ambiente, na medida em que se reduz as probabilidades de um acidente contaminar, por exemplo, um rio ou lago que abastece uma rede de água potável”, diz  Carlo s E.Viriato.

Uma comprovação dessa maior consciência de empresários e técnicos de órgãos governamentais e profissionais da área em relação a cuidados no manuseio e transporte de produtos perigosos no Brasil é certa estabilização no número de acidentes envolvendo esse tipo de carga. De acordo com dados da Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, apesar de ainda ocorrer mais de um acidente por dia envolvendo produtos perigosos nas ruas e rodovias paulistas, o número está estabilizado. A média dos últimos cinco anos ficou em 436 acidentes por ano. Vale notar que tal estabilização ocorreu apesar do expressivo aumento da frota brasileira de caminhões e da expansão da economia.